©2019 by RECARGAMATIC.

Biltong


Biltong

A humanidade sempre teve a   necessidade de conservar carne para sua sobrevivência, o método mais fácil encontrado foi através do salgamento e consequente desidratação.

Aqui no Brasil ainda se usa muito o salgamento de carnes e peixes. A carne de boi salgada possui um sabor peculiar que todos nós apreciamos, como também a carne de porco salgada que vai muito bem numa feijoada.

O Biltong nada mais é do que uma carne salgada e desidratada. Conheci pessoalmente o Biltong quando estive na África e tive o prazer de saboreá-lo. Antes disso só havia visto em livros.

A diferença do Biltong e da nossa carne seca, é que ele não leva muito sal e é um pouco mais desidratado. O biltong pode ser hidratado e cozido da mesma forma que a carne seca.

 Caçadores como Jorge Alves e José Pardal mostraram em seu livros fotos de varais imensos de Biltong secando na sombra.

Naquela época se um bicho grande era morto numa comunidade, todos se empenhavam em carnear o animal, cortar em tiras, salgar e colocar em varais. Essa carne alimentava muita gente por um bom tempo.

Já na época dos Grandes Safaris existia a comercialização de biltong, onde empresas compravam animais caçados para transformar em Biltong e comercializar. Atualmente o comércio de Biltong é grande, principalmente na África do Sul, vê-se oferta de Biltong de vários bichos africanos por toda a parte.

O Biltong verdadeiro é preparado somente com sal e vinagre. A função do vinagre é para evitar as moscas.

Quando fiz biltong, usei a seguinte prática: cortei em tiras um pedaço de colchão mole de boi, passei vinagre de maçã, salpiquei com sal e espalhei sementes de coentro. Deixava marinar na geladeira e no outro dia colocava no desidratador que fiz, onde ficava de 4 a cinco dias.

Assim que saia dali era só cortar em pedaços finos e comer.

Para desidratar usei um desidratador simples que eu mesmo fiz. Construí uma caixa de compensado de mais ou menos 1,2m de altura de largura de 0,50m, ambos lados. Em sua base coloquei uma lâmpada de 60w de filamento e um furos na caixa na direção da lâmpada. Em cima da caixa uns paus finos serviam para pendurar a carne. A função dessa caixa é desidratar por corrente de ar. O ar quente gerado pela lâmpada circula de baixo para cima passando pela carne desidratando-a.

Pode também pendurar as tiras num varal e colocar um ventilador para que ventile a carne.

A receita foi-se alterando com o tempo, hoje na web achamos receitas que além do sal e vinagre coloca-se sementes de coentro, pimenta, açúcar mascavo e um pouco de bicarbonato para amaciar a carne.

.

0 visualização