Caça aos pombos

Caça aos pombos,

Foram muitas que fizemos quando a caça era somente tida como contravenção penal. Normalmente não íamos especificamente aos pombos, íamos às perdizes e quando deparávamos com eles sobrevoando as roças, sempre reservávamos um tempinho para gastar cartuchos com a espécie venatória mais desafiadora ao atirador.

É muita emoção que se sente quando, percorrendo as roças de picape, deparamos com bandos enormes de pombos cruzando o campo. Muitas vezes sentamos na caçamba com a arma na mão e, conforme os pombos iam se levantando os tiros partiam, a esportividade brotava como nunca. A facilidade de acertos era até maior, pois com a velocidade da picape os descontos de tiro eram menores, mas os buracos do terreno muitas vezes fazia-nos perder a pontaria.

Outra forma de caçada era de espera, verificava na roça onde elas estavam pousando para comer e, escondido num arbusto ou numa árvore, ficávamos à espreita sem se mexer. Era um tiro mais facilitado, pois elas vinham com o flap baixado para pousar com menor velocidade.

Praticamos mais um sistema de caçada, o de ficar próximo a uma mata onde os pombos vem para pousar. Um ajudante fica com a função de atirar pedras e espantar os pombos que estão ocultos nas árvores, assim que alçam voo o tiroteio se faz com mais de um caçador bem posicionado.

Mais uma caçada emocionante é no passador delas, porém passam altas e na velocidade de cruzeiro, esses tiros acertados são realmente muito festejados.

A caçada com chamas de plástico de pombos também é emocionante, principalmente quando armamos as chamas a 25 metros de uma árvore frondosa e resolvemos chupar umas laranjas que colhemos maduras dum pomar próximo.

Com o calor abrasador da tarde e a vontade louca por sugar uma laranja doce, passamos a descascar uma delas, mas só foi dar duas voltas de canivete, que já veio uma pomba voando de encontro pra sentar-se na árvore. Larga-se tudo rapidamente ao chão, agarra a espingarda de qualquer maneira leva-a pra cara mais que rapidamente e o tiro parte de qualquer forma. Não poderíamos deixá-la sem tiro, ela dá um corcoveada e só desvia o rumo. Eta laranjinha, já nos fez errar uma! Mas a tentação da laranja não passa, e lá se volta a descascar a laranja, bota na boca dá uma chupada e vem outra, agora voando de travessado. Nova correria, coloca a laranja sobre algo, pega a espingarda do colo, acompanha a pomba e lá vai chumbo número 6, ela sente o impacto voa mais um pouco e focinha ao chão. A sensação é simplesmente sensacional, pena que não havia ninguém perto pra comemorar conosco.

Tínhamos mais laranjas pra chupar, porem resolvemos deixá-las pra depois. A caçada ia bem tanto que alguns tiros nunca serão esquecidos, como os que atiramos de encontro em que o pombo veio estatelar ao chão ao nossos pés. Bonitos também são os tiros de encontro os quais um chumbo acerta a cabeça, a ave se desnorteia parecendo um helicóptero desgarrado e vem ao chão. Outros tiros bonitos são os que fazemos doublé e até triplo, esses sim são memoráveis. Mas, a maior sensação é quando vem uma porção delas ao mesmo tempo, a gente descarrega a arma e quando vai alimentá-la, mais pombos a passar, para não perder a passagem colocamos apenas  um cartucho, e vem mais , ficamos igual barata tonta, não sabemos o que fazer. É uma sensação até hilariante, que rimos de nós mesmos por conta do apavoramento que ficamos.

É grande a porcentagem de tiros perdidos em pombos, porém é um ótimo treinamento para a caça de campo.

Eu creio que o fator rapidez é o mais importante no tiro ao pombo. Devemos seguir o pombo já com o desconto da distância sem interromper a velocidade angular e soltar o tiro, este método é o de acompanhamento.

Outro método é acompanhar o pombo imprimindo sempre a velocidade angular e ultrapassá-lo elegendo o desconto e apertar o gatilho. Este método é chamado de ultrapassagem.

Caçada de pombos ao voo é sem dúvida uma das mais desafiadoras.

19 visualizações

©2019 by RECARGAMATIC.