©2019 by RECARGAMATIC.

Double gâchette


Travas de segurança das espingardas de dois canos

As primeiras cartucheiras de canos duplos eram providas de cães expostos, a segurança dessas armas deixavam a desejar, justamente porque poderia haver um disparo acidental   ao atravessar uma cerca, ou mesmo enroscar num galho. Outro inconveniente das armas de cães expostos, principalmente na caça de campo, era quando a caça estava para voar, o caçador armava os dois cães e se acertasse no primeiro tiro, certamente esqueceria o segundo cão armado, e o risco era eminente de disparo acidental, motivado agora por uma esbarrada no gatilho.

Com a advinda das armas mochas, que são bem práticas para a caça ao vôo, o risco não acabou do disparo acidental ,pois os cães agora. permanecem sempre armados. A trava que existe atrás da báscula, só serve mesmo para travar o gatilho, nada mais que isso. Muitos caçadores pensam que não há perigo nenhum quando suas armas estão travadas, mas há que se cuidar, pois o engate do cão poderá sofrer um desgaste, ou a mola do gatilho enfraquecer, não engatar bem, ou mesmo uma pancada acidental na arma e o cão disparar.

José Bernardo de Castro em seu famoso livro Tiro ao vôo, editado em 1940, apregoava entre outros quesitos, que a arma ideal de caça deveria possuir o “Double gâchette”ou em inglês “Intercepting tumbler bolting safety” essa trava  significa que,  somente puxando o gatilho o cão disparará, isto porque ao puxar o gatilho nessas armas,  primeiro libera uma  trava  do cão e em seguida desengata o cão e libera o disparo.

Infelizmente a grande maioria das fábricas de armas não adotam esse sistema por ser mais custoso. Somente os famosos fabricantes é que fazem armas dotadas dessa segurança, tais como as marcas:Purdey, Holand&Holand ,AyA,Greener, etc.

0 visualização