Gatilho Cabelo


Gatilho cabelo

“Tenho ainda alguns anos de vida; quero ver como você se conduz: vai para Paris, o lugar mais perigoso para um rapaz. Vamos ver se você se faz um homem, prefiro que não se faça doutor; em Paris, com auxílio de nossos primos, você procurará um especialista em física, química, eletricidade, etc., estude essas matérias e não se esqueça de que o futuro do mundo está na mecânica. Você não precisa pensar em ganhar a vida, eu lhe deixarei o necessário para viver” Do livro (“O que eu vi o que veremos” de Santos Dumont).

Há mais de cem anos o pai de Santos Dumont disse as palavras acima ao filho assim que deixara o Brasil para se tornar o pai da aviação. Notem que seu pai disse que o futuro do mundo está na mecânica.  Sabiamente ele previu aquilo que o grande desenvolvimento da mecânica daria para a humanidade.

A mecânica dos eixos, das alavancas, engrenagens, das molas, etc. abrangeu todos os setores do desenvolvimento, inclusive o das armas.

O gatilho cabelo, muito embora de eficácia contraditória em nossos dias, trata-se de um invento da mecânica que nos traz admiração. Para tanto à aqueles que não conhecem seu funcionamento passaremos a detalhá-lo.


                                Croqui do mecanismo Mauser


O primeiro gatilho (7) funciona como qualquer gatilho; quando premido ele empurra com seu ombro a parte(3) do gatilho(8) o qual irá empurrar a peça (2) que por conseguinte desarmará o desarmador (1) que soltará o armador para percutir a espoleta. Como podem ver, são sistemas de alavancas.

Para usar o gatilho cabelo, há que pressionar o gatilho (8), fazendo que seja pressionada a mola (6),  as partes (5) e (3) respectivas dos gatilhos se enroscam armando o gatilho(7). Quando o atirador puxa o gatilho (7) desenrosca do gatilho (8) e sua parte (3) funciona exatamente como um martelo dando uma rápida e forte pancada no desarmador.

Qual seria a função do gatilho cabelo? Esse gatilho tem a propriedade de disparar rapidamente, ele, praticamente não tem nenhum arraste antes do disparo, é imediato, assim é usado em tiro como para uma caça em fuga.

Do livro “A Carabina de Caça Grossa em Portugal” do nosso amigo Óscar Cardoso, retiramos o seguinte texto sobre gatilhos:

“Entre os atiradores é costume dizer-se que mais vale uma carabina pouco precisa com um bom gatilho ,do que uma muito precisa com um mau gatilho.Até certo ponto é mesmo assim.

Por norma, um bom gatilho é aquele que desengata o armador do dente de armar sem arrasto, apenas mediante uma certa pressão.Uma boa imagem é a da vareta de vidro ao quebrar,quando submetida a determinado esforço que ultrapassa o seu limite de resistência, sem passar por um limite de elasticidade; até porque o vidro quase não tem elasticidade.

Basicamente há três tipos de gatilhos:o direto,tipo caçadeira; o de dois estágios, ou gatilho com folga, que se encontra geralmente nas armas militares; e o gatilho indireto ou gatilho cabelo. Nestes últimos há a considerar o sistema de dois gatilho e o de um gatilho só.

O grande “segredo” do tiro está no controle do gatilho. O atirador não deve saber o momento exato em que o dente de armar se solta do armador, caso contrário terá uma contração que afetará a certeza do tiro(é o que se chama “flinching”).Se o gatilho tiver arrasto,dá impressão que pode contribuir para que o disparo ocorra como uma surpresa,só que o tempo que o atirador leva a afagar o gatilho concorre para que a mirada desalinhe.

O tipo de gatilho é uma questão pessoal.

Há indivíduos que gostam de gatilhos pesados e outros que apreciam gatilhos leves. Podemos dizer que, para caçar,um gatilho com um peso de disparo de 1,8kg é o ideal para a maioria dos caçadores.

Os gatilhos diretos são os mais populares e talvez os mais práticos desde que disparem cerce,sem arrasto.São os mais aconselhados para tiro à caça em movimento e também os mais fiáveis no caso de uma “carga”(ataque de um bicho feroz)

Os gatilhos com folga são os mais seguros contra disparos involuntários, quando se acionam culatras de repetição com grande rapidez. Se um atirador estiver bem familiarizado com eles, como é meu caso,devido aos muitos tiros que fiz com a Mauser mod.1937,cumprem tão bem a missão como os diretos.

Os gatilhos de cabelo são muito do agrado dos atiradores germânicos que normalmente os usam com primor. Quando de um gatilho só,este é empurrado para a frente ficando muito sensível. Nos de duplo gatilho, o de trás é premido ficando o anterior ultra sensível. Em principio,estes gatilhos,quando são previamente armados,funcionam dando ao atirador a sensação dos gatilhos diretos,só que quase sempre são muito pesados. Os gatilhos de cabelo são mecanismos delicados e complexos que podem ser regulados. Modernamente estão ultrapassados porque se lhes reconheceram dois defeitos: Tem um “Lock time”(Tempo que medeia entre o premir do gatilho e a percussão da espoleta) relativamente lento e, devido à sua construção,provocam vibrações na arma,nocivas da bo pontaria.

Pessoalmente não desgosto dos gatilhos de cabelo para tiros de precisão a alvos parados. Apesar de tudo,por causa deles,perdi algumas boas oportunidades, na caça,devido a disparos prematuros.

Como sempre,em tudo há bom e mau. A casa Steyr Mannlicher fabrica excelentes gatilhos de cabelo nas suas armas. As carabinas BRNO vem equipadas com gatilhos diretos e de cabelo como opção.

De um modo geral todos os gatilhos podem ser afinados. É um trabalho que,embora pareça simples, deve ser feito exclusivamente por espingardeiro especializado, pois envolve  alterações  de ângulos e polimentos que exigem cementações e o emprego de meios de polir como pedras de Arkansas,que nem sempre estão ao alcance do amador.

Existem no mercado fabricantes especializados em gatilhos tais como Canjar, Jaeger, Kenyon, Timney e outros,cujos produtos se destinam a melhorar as carabinas das marcas  mais conhecidas,mediante uma simples montagem.



8 visualizações

©2019 by RECARGAMATIC.