TA .38 da Taurus


TA.38 da Taurus

    Quem vê um Taurus TA .38 de 6 polegadas de 6 tiros dos anos 80  apaixona-se. O TA.38 dessa época era  uma cópia do K.38, mas sem  perder nenhuma qualidade. Os primeiros que saíram tinham a agulha no cão, posteriormente passaram a ter  agulha embutida.

    O TA .38 é uma arma esportiva eclética, serve tanto para tiro ao alvo em diversas modalidades, também para plinking e naturalmente para a caça. Para defesa, ele não é o mais indicado, pois é grande ,difícil de portar, mas para defesa em residência é de boa valia.

   Na mesma época que se difundiu a recarga o TA.38 foi muito vendido no Brasil, era um misto de Fusca com Ferrari, fusca porque se popularizou e Ferrari, porque era o melhor dos brasileiros. Com o custo baixo da recarga da .38 os TAs foram se espalhando, fez-se com os TAs muitos campeões e afinou muitos outros. Nunca esqueço do criativo Cel. Giraldi que usava nas competições seu TA, munido com um cinturão de tambores. Como não existia aqui ainda os Jet loads ,ele trocava os tambores agilizando o recarregamento.



  Eventualmente, quando alguém for adquirir um revolver usado há que fazer uma perfeita vistoria na arma.  Verificar externamente se a arma não possui perfurações de ferrugem, verificar o estado da oxidação. Se a arma foi mal oxidada aparece ondulações causadas por efeito de mau polimento. Muitos restauradores oxidam o gatilho e o cão, normalmente estas armas não possuem essas partes oxidadas. Uma das principais vistorias que se deve fazer é analisar a contagem do tambor, i.é, apertando o gatilho o tambor tem que rodar perfeitamente para o próximo estagio, sem parar antes. O retém de rotação do tambor tem que estar afinado com o braço que empurra a estrela para dar o ciclo certo do tambor. Um revolver que tenha  desgastado esse mecanismo costuma sempre falhar na percussão da espoleta. Outro detalhe é verificar o raiamento do cano, um sistema simples, mas sem muita precisão é colocar na ponta do cano um projétil ou a ponta de uma bala do mesmo calibre e verificar se entra. Se não entra é porque o raiamento ainda está atuando. Mais uma verificação deve ser feita em volta da agulha de percussão,se apresentar marca de um anel profundo é porque a arma foi muito atirada.

Aprecie sua arma com moderação:

1. Considere toda e qualquer arma como carregada.

2. Nunca aponte a algo que não pretenda destruir.

3. Conserve o dedo fora do gatilho quando não pretende atirar.

4. Mantenha sempre o cano numa direção segura.

4 visualizações

©2019 by RECARGAMATIC.