Um dia muito especial


Tarde de Autógrafos do Rodrigo (lLivro: Caçadas-estorias e outras mentiras )

      Semana passada, dia importante no calendário brasileiro, véspera de São João. Dia este muito lembrado pelos esportistas do tiro, tanto caçadores como atiradores, pois é o dia quase que da pólvora; as bombas e os foguetes são disparados por todos os cantos do Brasil. Eu, pròpriamente tenho muitas lembranças desta data, pois muitas vezes aproveitávamos para fazer caçadas de codornas nas redondezas, já que nossos tiros confundiam-se com a comemoração do S.João e não eram notados pelos delatores.  Agora só recordações….

      Esta importante data  brasileira foi motivo de minha ida até Orlândia, terra natal do meu amigo Rodrigo Tardelli Meirelles, que  estava por alguns dias no Brasil. Prazerosamente fomos recebidos na casa de sua querida mãe para o lançamento do seu livro, ora editado no Brasil, sob o título: Caçadas-estórias e outras mentiras.

     Estavam reunidos para o evento: o irmão do Rodrigo que é prefeito atual da cidade, seu outro irmão fazendeiro em Goías, bem como um representante da rádio local, seus parentes mais chegados e seus amigos caçadores e pescadores.

     Tive o prazer de conhecer pessoalmente três pessoas especiais ligadas ao nosso esporte , são elas: Dr. Salomão, médico em Rib. Preto; Cel.Trajano , da reserva do Exército Brasileiro e Nilson Araújo, famoso criador e adestrador de cães perdigueiros.

     Dr. Salomão, simpaticamente falou que lendo o meu livro, Contos de Caçadas, teve muitas recordações das passagens de caçadas nas regiões de cerrado onde hoje sobrepuja a imponente cidade de Rondonópolis. Disse ele que tinha um amigo que era seu xará e que possuía uma loja de caça e pesca. Esse seu xará levava-o a propriedades de conhecidos onde podia praticar a tão emocionante caçada de perdigões. Infelizmente, recentemente Dr. Salomão foi noticiado que seu xará suicidou-se.

    Esta conversa fez eu lembrar do meu amigo Nilton Vidigal, ex fabricante das mochilas Vidigal,que também naquela época foi  liderado pelo Salomão, da casa de armas, para as caçadas nas redondezas de Rondonópolis. Belos tempos, hoje não se encontra mais cerrados, os varjões foram  exterminados , a agroindústria com seus    defensivos vem acabando não só com os insetos nocivos como a fauna e a flora.

   Com o Cel. Trajano a conversa foi outra, ele é um exemplo de  pesquisador das obras relativas à caça, ao  sertanismo e as armas, tanto absoletas como atuais, sejam brancas ou de fogo. O Cel. Trouxe para minha apreciação algumas obras de autores portugueses e espanhóis , que realmente deixa-nos boquiabertos com a profusão de detalhes.

   Tivemos também um resvalo de conversa com o conhecido caçador, treinador e criador de pointers Nilson Araújo. Com pouca prosa pudemos cimentar as regras básicas para aqueles que querem ter um cão eficaz no trabalho de campo. A principal de todas: O cão tem que ter um dono!

    No final da tarde o autor Rodrigo Meirelles tomou a palavra, muito emocionado nos contou como veio a inspiração para escrever seu primeiro livro editado nos EUA. Logo após sua mãe tomou também emocionada a palavra. Ela salientou que não tinha simpatia com o ato de caçar, mas depois que o Rodrigo foi morar nos EUA e após muitas viagens para lá, inteirou-se o quanto é importante a caça na preservação dos animais. Agradeceu a todos os convidados e com gesto puro de mãe, deixou claro que ama absolutamente igual todos seus filhos. 

    Verdadeiramente, foi um dia valoroso e inesquecível!

0 visualização

©2019 by RECARGAMATIC.