©2019 by RECARGAMATIC.

URUGUAI



Lembro como se fosse hoje quando fiz a minha primeira caçada no Uruguai. Quem me passou o contato foi o “Irmão” famoso coronheiro, um dos melhores do Brasil. O contato que me foi passado era do João Paulo. Resolvi então em maio, mês de meu aniversário, auto presentear com uma caçada nos pampas uruguaios. Tomei o avião e fui, “cumprir anõs” ( fazer aniversário em espanhol ) caçando perdizes (codornas)

Tive a felicidade de encontrar naquela semana, no mesmo local, caçando, o Rodrigo Meirelles que mora nos EUA, acompanhado de outros americanos os quais fizemos amizades. Posteriormente estivemos nos EUA na casa do Rodrigo e também na casa do Bill.

Este ano fiquei surpreso com o catálogo que o João Paulo  trouxe em mãos para acertarmos a próxima caçada em sua pousada. Gostei muito da charge do caçador na cama, em que a mulher diz : relaxe que falta uma semana ainda para ir caçar. Gostei também de ver fotos do minhas junto com o Bill.

Quanto à charge, na verdade ,todo ano quando inicia a estação do frio, já me sinto apunhalado pela vontade e a ansiedade de ter com os campos , aves e cães. É lá junto à natureza, que toda preocupação diária esvai, e a canseira de caminhar pelos campos, nada mais é do que um antídoto para aliviar nossa mente conturbada.

Isto me faz lembrar do Conde Yebes, que no seu famoso livro fala de suas caçadas. Ele vivia atribulado com sua profissão de arquiteto, mas o mais característico do Conde é que de vez em quando desaparecia sùbitamente da cidade, como se volatizasse . Ninguém sabia onde estava, porque está onde não está nada, no mais perdido penhasco dos Gredos, no fundo de um cerrado, lá na Serra Morena, no seio escuro do bosque Toledano. Yebes ia para caçar e não de qualquer maneira, senão em caçadas longas e premeditadas, a locais que convidavam –o, como também em terras proibidas.

Nós, embora não sejamos Conde, temos também que desaparecer vez por outra.

Devo dizer para aqueles que gostam de uma boa caçada que não percam a oportunidade de fazer pelo menos uma na vida no Uruguai e para isto indico procurar JP Cacerias –João Paulo jpdacosta@netgate.com.uy

Obs. histórias de caçadas no Uruguai e nos EUA, no meu livro Contos de caçadas.

0 visualização